Arquivo mensal: agosto 2013

Cetrilan creme protetor

Padrão

cetrilan

Olá mamães,

comecei a usar esta pomadinha no Joaquim, quando a pomada Desistin,da embalagem azul, acabou (já falei dela aqui no blog).

O Cetrilan foi indicação do pediatra dele, não precisa de receita médica para comprar porque é um creme que previne assaduras.O tubo é bem prático, a tampa que fica presa, facilita na hora de abrir e não acontece de ter que sair correndo atrás dela se ela cair no chão!

O creme é super consistente e espalha bem. O problema é que o creme é um pouco difícil de tirar no banho, precisa limpar com o lencinho antes para facilitar. Mas acho que é isso, que faz o creme ( que para mim mais parece uma pomada) ser tão boa, né? Porque logo que aplicada na pele, forma uma camada protetora, ou seja, não é absorvida completamente,nem some na pele do bebê.

Eu super recomendo! Já conhecia alguns produtos da TheraSkin ( um deles é a Camomilina C – que uso no Henrique quando estão nascendo os dentes), e apesar de já ter visto outras resenhas positivas desse creme protetor, o Cetrilan, ainda não tinha experimentado.

Sua formulação reúne ingredientes com várias ações. O óleo de amêndoas doces e a lanolina proporcionam ação emoliente, com melhora da textura da pele. O óleo de calêndula é um calmante natural para peles irritadas. A cetrimida protege a pele de forma suave. O óxido de zinco possui ação antipruriginosa e secativa. A presença de silicones e cera de abelha proporcionam melhor proteção.

Minha rotina com dois bebês

Padrão

mae_ocupada_630

supermae

Tem gente que me chama de louca, de super mãe etc.
Não vou mentir e dizer que tudo é mil maravilhas, mas também não é o bicho de sete cabeças que tanta gente tentou me convencer que era. Mas uma coisa é certa…sou sortuda. Apesar de não ter uma faxineira e babá, tenho condições de deixar o Henrique na creche, por um período de seis horas além, de ter uma família que se prontifica a ficar sempre com os meninos. É só pedir…

Como eu já disse em outros posts, o Joaquim é um anjinho. Geralmente ele faz os mesmos horários, e não temos nenhuma alteração significante na rotina. O problema é que geralmente os horários do Henrique não coincidem com os do Joaquim, e então temos uma verdadeira carnificina de tímpanos, com um deles gritando. Mas isso é raro!!

Henrique, bem antes do Joaquim nascer, acordava por volta das 9:00 – 10:00. Agora ele acorda pontualmente às 7:00 e dorme, somente, às 21:00. Joaquim cochila o dia inteiro, mas sempre está acordado à meia noite para mamar, só depois que pega no sono. Podendo acordar uma ou duas vezes na madrugada ou até mesmo, dormir direto até às 8:00. Uma benção!! Risos Lembrando que muitos pediatras dizem para acordar o bebê de três em três horas para dar de mamar, eu na verdade nunca fiz isso com o Henrique e nem vou fazer com o Joaquim. Eu acredito que se a criança está dormindo é porque não está com fome, caso contrário, estaria gritando e chorando.

Mas vamos à nossa rotina…

Henrique é o primeiro a acordar aqui em casa. Só nas segundas e quartas que eu sou a primeira a levantar, nesta casa, porque vou para o Pilates por volta das 6:30. Fora isso, quando Henrique acorda o meu marido levanta e faz a mamadeira dele. Liga a televisão do seu quarto, colocando algum dvd na tentativa de distrai-lo por mais alguns minutos, mas isto está virando uma raridade. Henrique acordado é sinal de que todos devem levantar, o mais rápido possível, antes que aconteça algum desastre na casa. (EXAGERO!)

Neste meio tempo, já acordei e estou amamentando o Joaquim. Em seguida, troco a fralda do Henrique. Tiro Joaquim da nossa cama e o coloco no berço dele. Arrumo minha cama. Corro atrás do Henrique, que certamente, está subindo na poltrona de amamentação e prestes a entrar no berço, onde o irmão está. O tiro de lá mais de 50 vezes. Troco a fralda do Joaquim.

Henrique, como de costume, pega os seus brinquedos e espalha por todos os quartos. Para entretê-lo encho a banheira e o deixo ali de molho, até ficar todo enrugado. kkkkkk
Enquanto isso, recolho as roupas que devem ser guardadas, lavadas etc. Ajeito o quarto dos meninos. Para tirar o Henrique do banho é uma luta. Ele começa a gritar e chorar, o que anima o irmão a fazer o mesmo.

Joaquim começa a ficar entediado de ficar deitado. Coloco a fralda e a bermuda de uniforme no Henrique. Troco a fralda do Joaquim, novamente. Desço as escadas com o Henrique e o deixo lá embaixo gritando por mim, enquanto busco o Joaquim e a mochila do Henrique.

Coloco o Joaquim na cadeira que vibra enquanto, o Henrique espalha os brinquedos pela sala, arranca as roupas que estão secando no varal e as joga na grama; come as plantas; liga a torneira lá fora e muitas vezes, se molha todo tendo eu, que trocá-lo novamente. Tirando as mil vezes que tenho que pedir para ele deixar o irmão em paz.

Preparo o almoço. Estou tentando preparar tudo na noite anterior, mas muitas vezes esqueço ou estou tão cansada que deixo para lá. O que me resta, no outro dia, é me perguntar o motivo, pelo qual não deixei o almoço pronto.
Dilema que me persegue!!! rsrs

Sem contar nas vezes, que eu fico “horas” em frente ao fogão preparando um almoço super bonito, nutritivo e saudável e ele não come uma colherada. Ô RAIVAAAAA! Mas também tem dias que eu, na minha preguiça maior, resolvo fazer uma mega omelete e ele come tudo. Maravilha!! Aí o que faço é enfiar tudo na omelete: agrião, cenoura, beterraba, tomate etc…kkkk

Depois que dou o almoço para ele, é hora de amamentar o Joaquim. Hora difícil, meu Deus. Muitas vezes, com Joaquim grudado no meu peito, vou correndo atrás do Henrique para ver o que ele está fazendo. Coitado do caçula, muitas vezes mama menos do que quer, o que me resta é recompensar depois.

Termino de colocar as coisas na mochila do Henrique; escovo os seus dentes; coloco a camisa do uniforme ( coloco por último para que não suje durante o almoço); troco mais uma vez a fralda dele. Desço as escadas…
mais uma vez o deixo gritando, lá embaixo…porque subo com o Joaquim para trocar a sua fralda. Desço as escadas…

Se falta muito tempo para sair de casa…coloco umas roupas para lavar, tiro outras do varal, lavo louça. Se Joaquim reclamar muito, o coloco dentro do sling e faço tudo isso com ele pendurado em mim.

GENTE…CHEGA onze horas da noite, mas não chega 11:30, que é o horário que costumo sair de casa para leva-lo na creche. Coloco a mochila na carro; coloco o Joaquim no bebê conforto; coloco Henrique na cadeirinha e lá vamos nós…

Paro em frente à creche…penduro a mochila nas minhas costas, pego Henrique e o deixo lá.Pego Joaquim e vou almoçar ali perto. Volto para casa! Amamento Joaquim, tento coloca-lo para dormir. Vou tomar banho, atualizar o blog, ler meus e-mails, ver um pouco de televisão, ler um livro e terminar de arrumar a casa.
Quando Joaquim acorda: faço massagem nele, dou banho, amamento. Quando vejo, já está na hora de buscar Henrique na creche.

Coloco Joaquim no bebê conforto e lá vamos nós…busco Henrique, volto para casa. Quando meu marido chega as coisas vão ficando mais fáceis: ele cuida de um, enquanto cuido do outro. Brincamos com os filhotes, vou arrumar a mochila para o outro dia, preparo o quarto para o Henrique dormir, faço mamadeira, o coloco para dormir.
Em seguida, vou amamentar o Joaquim e por fim, chegou a hora de curtir um pouco o marido: jantar, ver televisão e toma, por fim, um banho bem demorado. Vamos dormir por voltar de uma hora da manhã!

Uffa!! cansou de ler?? imagina como eu fico, então??!!

A questão mais difícil, e de partir o coração, é deixar um filho de lado, para atender o outro. Isso geralmente ocorre pela manhã, quando Joaquim está mamando. Ainda bem, que me preparei para isso quando ainda estava grávida do Joaquim. Sabia que teria que fazer isso então, ficou mais fácil.Tudo é questão de adaptação. Esta é a palavra de ordem, inclusive na questão do sono. Já me adaptei a ficar sem dormir, e raramente estou caindo pela casa de sono. Na verdade, nem sei mais como é se sentir assim. São raras as vezes, que falo para o meu marido que preciso dormir senão vou pirar. Muitas vezes, penso o seguinte: depois que deixar o Henrique na creche, vou dormir junto com o Joaquim, mas quem disse que eu consigo?? se eu dormir…vou deixar de fazer mil coisas.

Porém, tudo nessa vida é passageiro, e esta é uma fase que vou lembrar com carinho, e dar muita risada quando eles estiverem grandes (espero que eles me considerem uma super mãe das galáxias, porque não é mole não).
Pensar em ter outro filho? Preciso cair da escada e sofrer uma amnésia daquelas para pensar em reprodução novamente, mas vai que rola…

O sapo que lava o pé

Padrão

Mamães,
eu estou mais que encantada com as toucas e gorros que a mãe da minha amiga faz. A Elane Barreto, além de ser uma querida é uma artesã de mão cheia. Todos os seus produtos são lindos e feitos com todo carinho e cuidado. Eu mesma já tinha feito minha encomenda, antes mesmo do Joaquim nascer e amei o resultado. Além de servir para proteger nossos babys do sereno, serve também para deixa-los ainda mais estilosos. Produzido em linha 100% algodão ou em lã.

sapo1

sapo2

sapo3

sapo4

sapo6

sapo7

sapo8

Contato:
O sapo que lava o pé
Elane Barreto
osapoquelavaope@gmail.com
(27) 3207-2041

2 meses de vida do Joaquim

Padrão

Eu sei mamães e papais… eu estou sumida do blog, admito. Mas é tanta coisa acontecendo por aqui, que fica difícil. Mas vamos lá…nosso caçula completou 2 meses, no dia 16 e, para não perder o hábito, quero deixar por aqui tudo registrado.

Na última consulta com o pediatra ele estava pesando 5.550 kg e medindo 57,5 cm.

Pegou sapinho, nada me tira da cabeça que a “culpa” é do Henrique. Que aproveita nossa desatenção para chupar a chupeta do irmão. Esterilizo o quanto posso, mas muito vezes é inevitável. Muitas vezes quando estamos dentro do carro: eu dirigindo e eles no banco de trás e Joaquim chora, Henrique tira a chupeta da sua boca e enfia na do irmão na tentativa de calá-lo. Um ato de solidariedade e carinho que acho lindo de morrer, mas um ato também cheio de bactérias para um ser tão pequeno e com ainda, baixa imunidade. Risos
Ele estava usando Nistatina mas não achei tão eficiente pois as marcas brancas continuaram em sua boca. O pediatra então, recomendou a pomada Daktarin gel oral, por 8 dias. Nossa…perfeita!! em três dias sumiu tudo. Mas lembre-se se seu bebê estiver com sapinho também, é importante que o mesmo remédio que você passe nele, você também passe no bico do seu seio, caso o amamente. Caso contrário será um circulo vicioso. Ele ficará curado, mas o seu seio continuará com o fungo, que passará para ele na amamentação. Além disso lembre-se de esterilizar tudo que vá na boca dele: chupeta e/ou mamadeira etc.

Nosso Joaquim já olha fixamente para as coisas: apesar de eu saber que ele não enxerga a longas distâncias, tudo que está mais próximo é objeto de sua atenção.

Antes ficava mais com a mão na boca, do que agora. Achei que ele fosse chupar dedo, mas pelo visto não vai. Poxaa!! acho tão fofo. Apesar de saber que é mais fácil tirar o hábito do filho chupar chupeta do que parar de chupar dedo. Mas que eu acho fofo, eu acho!

Ele sorri muito pra gente.De manhã é o horário predileto dele soltar deliciosas risadas, o que é impossível a gente não sorrir junto de tão gostoso que é.

Olha longa e fixamente para o irmão, que não o cansa de o chamar de neném, dar beijo e fazer carinho em sua cabeça.

Ainda não está dormindo no seu berço, por culpa nossa que até agora não o colocamos lá para dormir a noite toda. Estamos curtindo a cama compartilhada.

Já balbucia seus próprios barulhinhos.

Finalmente aceita ficar peladinho sem reclamar e tremer todo (também porque o tempo esquentou por aqui). ou seja, os banhos estão ficando mais longos.

Ama receber a massagem Shantala.

Teve sua primeira febrinha, depois de tomar a sequência de vacinas pentavalente-hepatiteb-rotavírus.

Dorme cada dia melhor. Acorda apenas uma vez, durante a madrugada, para mamar. Isso quando acorda.

Não é de ficar pendurado no peito. não tem como não comparar: Henrique ficava uns quarenta minutos mamando. Joaquim é mais econômica, mama o que tem que mamar e depois larga o peito sem a menor cerimônia. Se eu tentar forçar a barra e fazê-lo mamar mais um pouco, ele fica bravo.

É mais de resmungar, do que chorar.

Até hoje não teve uma crise de cólica.

Se deixado de bruços, ele consegue levantar a cabeça.

Já começou a perder muita roupa.

Bom…acho que é isso.

Um beijo

Tudo vai passar

Padrão

Soles of a Couple and Their Child

“Tudo vai passar.
Eles vão crescer e dispensar nosso colo.
Vai chegar a fase em que os amigos serão mais importantes que os pais.
Que nossas demonstrações de afeto serão consideradas um grande mico.
Que em vez de torcemos para que eles durmam, torceremos pra que cheguem logo em casa.
Que não se interessarão pelos velhos brinquedos.
Que o alvoroço na hora do almoço, dará lugar a calmaria.
Que os programas em família serão menos atrativos que o churrasco com a turma.
Que dirão coisas tão maduras que nosso coração irá se apertar.
Que começaremos a rezar com muito mais frequência.
Que morreremos de saudade de nossos bebês crescidos.

Por isso…

Viva o agora.
Releve as birras.
Conte até 10.
Faça cosquinhas.
Conte histórias.
Dê abraços de urso.
Deite ao lado deles na cama.
Abrace-os quando tiverem medo.
Beije os machucados.
Solte pipa.
Brinque de boneca.
Faça gols.
Comemorem.
Divirtam-se.
Acorde cedo aos domingos pra aproveitar mais o dia.
Rezem juntos.
Estimule-os a cultivar amizades.
Faça bolos.
Carregue-os no colo.
Faça com que saibam o quanto são amados.
Passem o máximo de tempo juntos…

…assim quando eles decidirem partir para seus próprios voôs, você ainda terá tudo isso guardado no coração!”

Procon investiga composto lácteo da Nestlé que tem ‘cara’ de leite e deixa pais confusos

Padrão

leite2

As embalagens de Ninho e Ninho Fases são semelhantes: latas redondas e amarelas com a marca Ninho em letras grandes. Mas consumidores mais atentos verão que, dos dois, só um é leite em pó.

Diferentemente do leite Ninho, o Ninho Fases é um composto lácteo, uma mistura à base de leite e outros ingredientes, como óleos vegetais. A frase “este produto não é leite em pó” está na parte de trás da lata. Ele tem diferentes versões para cada faixa etária, de um a cinco anos.

Por causa da possibilidade de o consumidor ser induzido a erro, o Procon de São Paulo começou a investigar a Nestlé, após receber a denúncia de um consumidor.

Até há poucas semanas, o próprio site da Nestlé colocava o Ninho Fases na categoria de leite. Só mudou após uma notificação do Procon

A entidade agora analisa o material publicitário da empresa e poderá multá-la ou exigir contrapropaganda. O prazo para o resultado da análise é de 120 dias, segundo Paulo Arthur Góes, diretor executivo do Procon-SP.

“A informação nem sempre é clara. O consumidor não sabe a diferença entre leite e composto lácteo. Para ele, é tudo leite, mas o composto lácteo não tem as mesmas propriedades.”

O Ministério da Agricultura também recebeu denúncias sobre o Fases.

QUALIDADE

Não há consenso entre os especialistas sobre se é melhor dar composto lácteo ou leite integral às crianças a partir de um ano -antes disso, o ideal é que ela receba leite materno.

Segundo Edson Credidio, médico nutrólogo e pesquisador em alimentos funcionais da Unicamp, o leite integral, por ser mais rico em nutrientes, é melhor para o desenvolvimento dos pequenos.

“Os melhores suplementos nutricionais estão nos alimentos e não no que se adiciona a eles. Essas novidades são meramente comerciais.”

O publicitário Adriano Ferreira, 37, de Sorocaba (SP), ficou surpreso quando a médica de sua filha Heloísa, 3, disse que o Ninho Fases não era leite e pediu que ele trocasse de produto.

“Escolhi o Fases no supermercado porque vi que tinha um monte de vitaminas. Para mim era um leite Ninho mais incrementado. Você olha a embalagem e nem questiona se é leite porque conhece a marca Ninho. Me senti enganado.”

Em blogs, outros pais se dizem surpresos e até revoltados quando descobrem que o Ninho Fases não é leite e contém xarope de milho, um tipo de açúcar.

Sophie Deram, pesquisadora e nutricionista do ambulatório de obesidade infantil do HC da USP, afirma que a tentativa de elaborar produtos com menos gordura saturada e mais vitaminas e minerais que o leite natural cria produtos doces e educa o paladar das crianças dessa forma. “Dou prioridade a alimentos reais, sem tantos processos industriais e adição de suplementos vitamínicos.”

Já o pediatra Moises Chencinski afirma que o composto lácteo tem uma formulação mais apropriada para a criança manter o peso adequado e prebióticos para a saúde da flora intestinal.

“O leite integral pode ter mais nutrientes, mas não são os adequados para essa faixa de idade.”

Cid Pinheiro, coordenador das equipes de pediatria do Hospital São Luiz e professor assistente da Santa Casa, afirma que, com o passar dos anos, o leite deixa de ser tão essencial para a criança porque as fontes de cálcio ficam mais diversificadas com a ingestão de outros alimentos, como queijo e iogurte, e, portanto, não há problemas em consumir o composto lácteo.

“No fim, a decisão sobre qual tipo de leite a criança vai tomar depois do aleitamento materno tem que ser individualizada e orientada por um pediatra.”

OUTRO LADO

Em nota, a Nestlé afirmou que respeita o direito de informação ao consumidor e cumpre a legislação referente à comercialização de compostos lácteos do Ministério da Agricultura.

A empresa diz que os ingredientes adicionados ao leite visam contribuir para a ingestão de nutrientes importantes na infância.

A reportagem também questionou a Nestlé sobre o uso de xarope de milho no Ninho Fases. O ingrediente adicionado a produtos industrializados, com alta concentração de frutose e composto também por glicose, já foi acusado de ser um dos culpados pela epidemia da obesidade nos EUA. O nutrólogo Edson Credidio afirma que nele há quase as mesmas calorias do açúcar.

A empresa diz que uso do ingrediente visa reduzir o dulçor do produto. “O xarope de milho é um carboidrato que confere um sabor menos doce, o que garante a palatabilidade de Ninho Fases, colaborando para que as crianças acostumem o paladar a alimentos menos doces.”

Fonte
http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/1154020-procon-investiga-composto-lacteo-da-nestle-que-tem-cara-de-leite-e-deixa-pais-confusos.shtml

O risco de oferecer muito suco

Padrão

suco

O meu filho AMA suco. Se deixar… toma copos e mais copos e ainda pede mais! Mas em um ponto, todos nós concordamos: tudo o que é demais é, por si só, um erro. Não é mesmo?? E isso não muda quando falamos sobre a alimentação das crianças. Muitos pais tendem a pensar, durante o período de transição da exclusividade da amamentação para a oferta de novos alimentos, que o suco é uma alternativa ao leite materno, mas não é bem assim.
A minha sugestão, seguindo as orientações do pediatra dos meus filhos, é que o suco deve entrar na rotina das crianças, como está presente na nossa. Ofereça o suco como um pequeno lanche e, aos poucos, a fruta deve entrar também como lanche e sobremesa.

Na hora de oferecer sucos para seu filho, não esqueça de respeitar a quantidade que ele está acostumado – na fase de transição para a alimentação complementar, geralmente, é em torno de 50 a 60 ml. Além disso, o suco deve ser tomado após a papinha- e não durante. Também não deve ser adoçado, pois as frutas têm seu açúcar natural.