Arquivo mensal: abril 2013

Shampoo e sabonete líquido – Giby Orange by Giovanna Baby

Padrão

DSC02912DSC02913

Boa noite mamães,

o Henrique, no momento, está usando o shampoo e o sabonete líquido, da Giovanna Baby.

A linha Giby Baby tem a fórmula enriquecida com Água de Côco, que promove uma hidratação natural da pele, além do Extrato de Algodão e Mel vegetal, com propriedades emolientes e nutritivas.

Eu tenho todos os produtos da linha Giby Baby (shampoo, sabonete líquido, óleo para massagem e hidratante) mas, por enquanto, estamos usando apenas estes dois.

O shampoo tem duas opções: o Rosa ou o Orange. Na minha opinião,o Orange tem uma fragrância mais gostosa e mais suave.

Na prática: o shampoo rende bem, deixa o cabelo macio e hidratado. A embalagem e a tampa, em termos de praticidade, são muito bons.

Anúncios

Quartinhos London e Paris

Padrão

Pirei nestes quartos!!  Tudo nas cores branco, vermelho e azul! Não é lindo e diferente? Uma variação incrível aos tons pastel, normalmente usados em quartinhos de bebê! Eu amei e vocês?

E pras menininhas, que tal Paris? Amei essa associação de Londres para eles e Paris pra elas!!

Imagina que legal usar essa decoração no quarto de um casalzinho de gêmeos! Tudo nas cores azul, vermelho e branco! Maravilhoso!

Dedoches

Padrão

Quem não brincou com dedoche levanta a mão! Impossível, né? Lembrança que faz parte da nossa infância… mas acho que com tanta tecnologia e brinquedos modernos este brinquedo tão legal deu uma sumida… o que acho triste, porque todo mundo sabe que criança gosta mesmo são das coisas mais simples… já não acocnteceu com vocês de darem um presente todo elaborado, e o bebê querer brincar com a embalagem? Pois é… então vamos trazer para nossos filhos as coisas simples da vida, brinquedos mais artesanais, fofos e que requerem muita mais da imaginação.

Estes dedoches são lindos, super bem feitos e um mais alegrinho que o outro. Ainda por cima,os dedoches podem servir como convites ou lembrancinhas.  Geralmente são entregues com um pirulito, tag com o nome do convidado e o  cartão do convite.

Não tenho dúvida que as crianças vão adorar, não é mesmo?!!!!

Síndrome de alienação parental pode levar criança à depressão

Padrão

Como o pai excluído pode detectar a síndrome?

A primeira reação da criança que está sofrendo com a síndrome de alienação parental vai ser se afastar do outro genitor. “Ela não quer mais ver o pai, fica receosa em cruzar com ele ou ela, se afasta e não cria vínculos, não se sente mais a vontade na presença daquela pessoa, pois é passado para ela que seu pai é alguém malvado”, descreve o pediatra Marcelo Reibscheid, do Hospital e Maternidade São Luiz. Conforme o pai for percebendo o afastamento, ele pode então pensar em que atitude tomar quanto a isso.

O que fazer para parar com o processo?

Em primeiro lugar, deve-se conversar com seu ex-cônjuge para tentar entender melhor o que está acontecendo e o que o motiva a ter esse tipo de atitude, pedindo para que ele pare. Caso isso não dê resultado, existem providências legais que o pai excluído pode tomar. “Ele deve entrar em contato com um advogado, para evitar perder o vínculo judicialmente, e aproveitar esse tempo para conversar com a criança e trabalhar isso”, frisa a psicanalista Priscila Gasparini. Em muitos casos, se for dada a entrada em um processo alegando alienação parental e isso for confirmado por laudo de um psicólogo, o genitor alienante pode perder a guarda da criança, que será passada ao outro pai ou aos avós, caso a relação entre pai e filho esteja muito desgastada.

Como é possível se reaproximar do filho?

Em casos mais leves ou quando as mentiras estão bem no começo, o pai pode explicar seu lado para a criança. Quando o vínculo anterior entre eles era bem forte, o filho tende a sondar e até mesmo perguntar diretamente ao pai se a informação passada para ele é verdadeira. É importante também que ele reforce a aproximação, e existem diversas formas de fazer isso. “Pode-se buscar a criança para passear, participar da vida dela, fazerem juntos algum projeto da escola, por exemplo. Tudo isso é benéfico para a criança ver que ele se interessa pelo mundo dela”, lista a psicanalista Priscila.
Por outro lado, algumas atitudes do pai excluído podem aumentar ainda mais o afastamento. “Começar a bater boca com o outro cônjuge em frente à criança e ter reações agressivas pode atrapalhar, pois confirmam as acusações feitas pelo outro”, adverte o pediatra Marcelo. Colocar outras pessoas nesses momentos iniciais de recriação do vínculo também pode atrapalhar, afinal esse momento precisa ser primeiro do pai com o filho. Um exemplo são homens que querem apresentar sua nova namorada para as crianças, mas a mãe pode estar falando mal de ambos para elas, dizendo que ela “roubou o papai de nós”.

Que consequências isso traz para a criança?

São diversos os malefícios que isso pode causar no pequeno. “Os pais normalmente são heróis para criança, e nessa situação eles perdem uma de suas referências e modelos”, assinala o pediatra Marcelo. A criança certamente ficará triste com a situação e decepcionada, até tem maiores chances de desenvolver quadros de doenças emocionais no futuro. “O que eu mais percebo durante a infância ainda é o desenvolvimento de quadros depressivos ou de ansiedade, ou até mesmo o agravamento de Transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)”, exemplifica o especialista. Mesmo na idade adulta, elas têm maiores riscos de apresentarem esse tipo de problema.

Como pessoas próximas podem perceber o problema?

Principalmente, parentes e professores. “Os avós podem sentir a ausência e ajudar a buscar, ligar e reafirmar essa questão, afinal não é apenas um dos pais que é afastado nessas situações, mas toda a família”, ressalta a psicanalista Priscila. No caso de pessoas próximas, que não sabem o que acontece no cotidiano de casa da criança, é possível observar mudanças de comportamento. “Ansiedade, depressão, angústia e até mesmo agressividade, dependendo da idade, podem sinalizar esse problema”, reitera a profissional.

Como fica a relação familiar no futuro?

Diversos quadros são possíveis. Se o que o pai disse não foi muito grave, a reconciliação pode ser bem mais simples. Em alguns casos o cônjuge alienante pode fazer acusações falsas como a de abuso sexual à criança, o que causa um desgaste imenso na relação. Quando o caso vai ao tribunal, o filho normalmente é levado a um acompanhamento psicológico, justamente para entender o que era verdade e o que era mentira no que lhe foi contado.
E no caso do pai alienante? “O tratamento psicológico feito com a criança aponta a situação como uma deficiência desse pai, para tentar não piorar a situação. O contato com esse genitor é menor e muitas vezes feito com acompanhamento de assistente social”, ensina a psicanalista Priscila.

O pai alienante tem consciência do mal que está fazendo?

Normalmente não. É muito raro que um pai queira fazer mal ao próprio filho, ele normalmente só percebe que está prejudicando o antigo parceiro. “Em geral a pessoa está lidando mal com o término, ela fica com o emocional aflorado e o foco é si mesma. Quer resolver ela seus problemas, custe o que custar”, analisa a psicanalista Priscila Gasparini. Por isso, muitas vezes conversa e um acompanhamento psicológico podem fazer com que esse pai perceba o mal que fez e mude seu comportamento.

Fonte: Uol

Dicas para seu filho parar de chupar o dedo

Padrão

chupar-dedos

Ocupe as mãos do seu filho

Quando a criança se concentra em atividades com as mãos, a necessidade de chupar o dedo é deixada de lado. Portanto, dar a ele brincadeiras que o distraiam, ocupem sua mente e também suas mãos, pode ajudar a criança a largar o hábito. Com crianças pequenas, isso é mais complicado. O ideal são atividades com brinquedos de montagem, que precisam de concentração e habilidade manual mas isso deve ser aliado a conversas com a criança, pois quando ela parar com essa atividade, pode voltar a chupar o dedo.

Procure as motivações da criança

Muitas vezes o ato de chupar o dedo é uma forma de seu filho se sentir reconfortado. Algumas crianças têm o hábito de chupar dedos por ansiedade ou insegurança. Carinho e atenção são as melhores formas de libertá-la desses sentimentos. Nessas horas, vale observar em que momentos o pequeno, ainda mais ele se tiver mais de um ano e meio, recorre a esse hábito e conversar com ele sobre essas situações, tentando entender por que elas causam esse tipo de emoção e explicando que ela não precisa ficar nervosa ou temerosa.

Brigar não é a melhor opção

Por outro lado, sair brigando e discutindo com a criança nunca é a melhor opção. Chamar atenção para o fato com punições somente piora o quadro, até porque isso causará nos pequenos mais ansiedade e medo. A atitude agressiva do pai nunca é recomendada. Dizer não de forma firme, substituir o hábito por outras atividades em que outras crianças, os pais ou outros adultos estejam envolvidos pode ajudar muito mais.

Negocie horários e momentos

Já a negociação é muito efetiva, mas não com todos.Só dá certo com crianças mais velhas que já possam compreender o que lhes está sendo falado ou proposto. Esse entendimento começa a partir dos 18 meses, e para essas situações é recomendada uma estratégia. Os pais podem fazer um joguinho com a criança: desenhar em uma cartolina um calendário, e marcar com uma estrela prateada cada dia passado sem chupar o dedo. Três dias seguidos, por exemplo, merecem uma estrela dourada, acompanhada de um pequeno presente.Caso a criança não tenha bons resultados, é importante que os pais insistam e não demonstrem frustração, pois isso pode piorar ainda mais o quadro, da mesma forma que as brigas.

Serviços de luxo oferecidos por maternidades brasileiras

Padrão
  1. No Hospital Perinatal (www.perinatal.com.br), no Rio de Janeiro, os pais podem celebrar a chegada do bebê em alto estilo. Em parceria com a empresa Julubeca, a maternidade oferece um pacote de serviços que inclui: enfeite de porta, decoração do quarto, docinhos, lembranças para os visitantes e até uma governanta particular. Os preços podem variar de R$ 800 a R$ 5.000.
  2. O hospital Samaritano (www.samaritano.org.br), em São Paulo, oferece para as mamães os serviços de profissionais como cabeleireiro, massagista e manicure, cobrados à parte. Além disso, os pais são presenteados com uma bolsa com vários produtos de higiene para o bebê e a mãe e uma cartilha de orientação sobre o pós-parto. Outro serviço é poder apresentar o recém-nascido aos parentes pela internet com acesso restrito por senha.
  3. Na maternidade Pro Matre Paulista (www.promatresp.com.br ), em São Paulo, há câmeras direcionadas para cada leito no berçário. Dessa forma, os pais podem acompanhar o bebê ao vivo por 24 horas por um canal de TV, enquanto o recém-nascido estiver fora do quarto. A maternidade também oferece serviços de manicure, cabeleireiro, maquiador, massagista, cobrados à parte, durante a estadia da mulher.
  4. A maternidade Pro Matre (www.promatresp.com.br), em São Paulo, tem suítes com 70 m². Os quartos possuem living para acomodar visitantes, terraço climatizado e TV de plasma.
  5. A Casa de Saúde São José ( http://www.cssj.com.br), no Rio de Janeiro, oferece cardápio individual que segue o gosto do paciente, e, para os acompanhantes, há restaurante com almoço e jantar, além de cafeteria. A maternidade tem suítes com dois ambientes (sala e quarto) e varanda. Alguns quartos são equipados com computadores com acesso à Internet e TV LCD.
  6. Depois que o recém-nascido toma o primeiro banho, o hospital e maternidade Monte Sinai (www.hospitalmontesinai.com.br), em Juiz de Fora (MG), tira foto da criança e disponibiliza a imagem na seção “Berçário virtual” de seu site.
  7. Os centros cirúrgicos do Hospital Israelita Albert Einstein (www.einstein.br), em São Paulo, têm janelas de vidro de cristal líquido, que possibilitam conhecer o bebê imediatamente após o nascimento. Um sistema de viva-voz permite inclusive conversar com o pai, que acompanha o parto. Todos os quartos da instituição têm rede wireless para o uso de computador. Outro luxo é poder contar com um salão de beleza Jacques Janine, onde as paciente podem solicitar os serviços no próprio quarto.
  8. A suíte especial do Hospital Memorial São José (www.hospitalmemorial.com.br), em Recife, é ligada a um lounge com 40 m² e capacidade para receber 50 convidados para celebrar o nascimento do bebê. Do quarto, a mãe pode acompanhar a comemoração dos parentes e amigos, além de ver o filho no berçário, tudo pelo circuito interno de TV. Uma fotógrafa também fica disponível para fazer uma primeira sessão de fotos do recém-nascido.
  9. Com a preocupação de preservar a mãe e o bebê, o Hospital Moinhos de Vento (www.hospitalmoinhos.org.br), em Porto Alegre, instalou um sistema de comunicação na porta de cada suíte da ala de internação da maternidade. Monitores de LED informam aos visitantes o que se passa dentro do quarto: se a mãe está amamentando, se é hora do banho ou se ambos estão descansando. Assim, é possível programar a visita sem atrapalhar a privacidade. Os luminosos também podem ser personalizados com fotos, animações e informações sobre o recém-nascido.
  10. Com vista para o rio Guaíba, a suíte de 38 m² do Hospital Moinhos de Vento (www.hospitalmoinhos.org.br), em Porto Alegre, tem mobiliário diferenciado, TV, aparelho blu-ray e cortinas do tipo blecaute. Alguns quartos têm antesala com banheiro independente. No ambiente destinado aos pacientes prestes a ter alta da UTI neonatal, a iluminação é temporizada e climatizada. Assim, ao longo do dia, é possível simular as condições de luz e temperatura diurna e noturna para que o bebê vá se acostumando com a passagem do tempo. A tecnologia, que usa fibra ótica, foi batizada de Céu de Estrelas, já que, à noite, o teto do quarto fica todo estrelado. Os familiares podem acompanhar a rotina e a evolução do bebê por um corredor envidraçado que atravessa toda a extensão das salas da unidade.
  11. A sala de parto humanizado da Maternidade Brasília (www.maternidadebrasilia.com.br), em Brasília, tem banheira, luzes para cromoterapia, barras de alongamento, música ambiente e antesala para observação direta. É localizada ao lado do centro cirúrgico para qualquer eventualidade.
  12. Com 65 m², a suíte presidencial da unidade do Itaim Bibi do Hospital e Maternidade Rede D’Or São Luiz (www.saoluiz.com.br), em São Paulo, possui jardim de inverno, serviço de governanta e estrutura para receber um bufê para convidados. Entre os mimos oferecidos estão frigobar abastecido, cesta especial de café da manhã, petit-four doce e salgado servidos diariamente, cafeteira Nespresso, roupão, pantufa e enxoval personalizados e jornal diário. A maternidade ainda tem salas de parto normal com luzes de cromoterapia (controladas por fibra óptica), musicoterapia, aromaterapia, hidroterapia e massagem para ajudar a mulher a relaxar.

32 semanas de gestação

Padrão

Olá pessoal,

andei meio sumida, estes dias…perdão!!!

A verdade é que a cada dia que passa, estou ficando mais cansada.Já me sinto um pouco inchada:no rosto, mãos e pés.

Tive consulta com o meu médico e está tudo ok. Da próxima consulta em diante, ele vai passar a me consultar toda semana.

Fiz uma ultrassonografia,semana passada e também está tudo ótimo! Quando a médica tentou tirar uma foto do rostinho dele, ele colocava as mãos no rosto. Será que vai ser timido???

No mais, as coisas estão fluindo: o enxoval está pronto mas,o quarto ainda falta pintar. Comprei um papel de parede super fofo para o Joaquim. Desta vez, quem vai montar o quarto do baby serei eu ( DO MEU JEITO) risos. Já que do Henrique, foi o gosto do pai.

E vocês, que também estão grávidas, como estão se sentindo?

Beijos