Terrible Twos

Padrão

2

1 – O que são os Terrible Twos?

A adolescência do bebê, primeira adolescência ou os “terrible twos” (terríveis dois anos, como citado na literatura em inglês), é a fase em que a criança passa a se comportar de modo opositivo às solicitações dos pais. De repente, a criança que outrora era tida como obediente e tranquila passa a berrar e espernear diante de qualquer contrariedade. Bate, debate-se, atira o que estiver à mão e choraminga cada vez que solicita algo. Diz “não” para tudo, resiste em seguir qualquer orientação, a aceitar com tranquilidade as decisões dos pais, para trocar uma roupa, sair de um local ou guardar um brinquedo. Para completar, não atende aos pedidos e parece ser sempre do contra.

2 – Esse comportamento é comum em qual idade?

Normalmente, acontece a partir de 1 ano e meio até os 3 anos de idade.

3 – Existe alguma causa?

A causa para esse período é simplesmente o próprio desenvolvimento natural da criança. A fase dos 2 anos de idade é um período de grandes mudanças para ela. Até então, o pequeno seguia os modelos e as decisões dos pais. Gradualmente, ele passa a se perceber como indivíduo, com desejos e opiniões próprias, e isso gera uma enorme necessidade de tomar decisões e fazer escolhas por si. Sem dúvida, isso acaba gerando uma grande resistência em seguir os pedidos dos pais. Não é exatamente uma ação consciente da criança, mas uma tentativa de atender a esse desejo interior, a essa descoberta de si como um ser independente dos pais. No entanto, ao mesmo tempo em que ela quer tomar suas decisões, ainda tem muitas dificuldades para fazê-lo, dado que ainda não tem maturidade suficiente. Ela discorda até dela mesma! Se você pergunta o que ela quer comer, naturalmente ela responderá: “Macarrão”. Mas, quando você chega com o prato de comida, ela diz: “Eu não quero!” Suponha que você está com pressa para ir a algum lugar. Seu filho está de ótimo humor até você dizer: “Preciso que você entre no carro agora”. Ele fará tudo, menos atender à sua solicitação. É uma fase difícil para os pais e também para as crianças. É uma experiência intensa emocionalmente e repleta de conflitos, pois, ao mesmo tempo em que a criança busca essa identidade, ela não quer desagradar seus pais – por mais que isso não pareça possível.

4 – Existe alguma maneira de evitar que o bebê passe por isso?

Não há a necessidade de tentar evitar esse período e nem há como fazê-lo. O importante é conhecer e lidar de modo construtivo com essa fase dos pequenos.

5 – Todas as crianças passam por isso?

Não é uma regra. Algumas crianças demonstram essas características mais intensamente do que outras.

6 – Como agir quando a criança se joga no chão e grita num lugar público?

Primeiramente, descarte palmadas, tapas, puxões de orelha ou qualquer outro comportamento agressivo para tentar conter uma birra. Antes de sair, converse com o seu filho e o contextualize sobre o passeio. Diga como espera que ele aja, o que ele poderá fazer ou não etc. E conte as consequências para o seu mau comportamento. Jamais ceda às manipulações, como choros, pedidos de ajuda e reclamação de possíveis desconfortos.
Opte por disciplinar a criança após a birra, que é o momento em que ela está colocando para fora sua frustração e seu descontentamento. Após ela parar de fazer a birra, você se abaixa para conversar. É sempre muito importante que a criança compreenda o que fez e o porquê de sua ação. Evite dar broncas e repreender seu filho na frente de outras pessoas para que ele não se sinta constrangido e você também. Uma dica bacana para mudar o foco da birra é chamar a atenção da criança para outra situação. Mostre um objeto ou comece a falar de outro assunto. Ignorar a birra costuma dar ótimos resultados. Em lugares públicos, se a birra persistir e você estiver se sentindo constrangida, tire o seu filho do ambiente sem demonstrar irritação e sem conversar. Sua atitude mostrará desaprovação.

7 – O que fazer quando o pequeno bate nas pessoas quando é contrariado?

Esse “bater” normalmente é a expressão do seu descontentamento, o que, no caso, não é aceitável. É importante ressaltar que as crianças, assim como nós, adultos, também ficam bravas, tristes, frustradas e chateadas – isso é natural do ser humano. Ao longo da vida, ela vai se deparar com diversas situações que despertarão esses sentimentos nelas e a infância é a melhor fase para aprender a lidar com esses sentimentos inevitáveis. Assim, se quiserem contribuir de modo positivo com o desenvolvimento emocional e psicológico dos pequenos, os pais devem parar de tentar poupá-los de situações frustrantes e passar a explicar esses sentimentos, apontando caminhos para que consigam lidar com eles. A criança não nasce sabendo a lidar com seus sentimentos, ela testa suas ações e vai construindo seus modos de agir.Quando ela bate em alguém, imediatamente deve ser contida e, em seguida, os pais devem abaixar-se na altura da criança, olhar fixo em seus olhos e com voz firme conversar , dizendo que entendem que o pequeno esteja bravo, mas que sua atitude é inaceitável. Explique que, se aquilo voltar a acontecer, haverá consequências negativas para ela, citando quais serão. Lembre-se de que essas consequências deverão ser algo possível de ser feito porque, se a criança repetir o comportamento desaprovado, você deverá cumprir o que falou.

8 – E quando a criança bate com a cabeça na parede ou faz coisas para se machucar porque ouviu um “não”?

Em geral, as crianças recorrem a esse tipo de autoagressão como mais uma tentativa de conseguir a atenção dos adultos e, quase sempre, conseguem porque descobrem que esse comportamento provoca comoção nos pais. Por mais que possam se preocupar, os pais devem manter a ideia de que “sem plateia não há show”. O ideal é conter a ação da criança sem dar atenção ou demonstrar comoção pela atitude. Você pode, por exemplo, colocar um travesseiro ou uma almofada embaixo da cabeça dele e sair de perto, ou tire o pequeno do local onde está sem conversar e coloque-o em um ambiente mais seguro. Sem conseguir chamar sua atenção com a autoagressão, a criança vai buscar outras possibilidades, como apagar e acender a luz, ligar e desligar equipamentos eletrônicos etc. Só fique atenta para a possibilidade de esse comportamento estar refletindo algum problema emocional que, aí sim, merece a atenção dos pais.Se a criança começar a apresentar comportamentos autodestrutivos frequentemente em situações cotidianas, como se arranhar, bater em sua própria cabeça e puxar os cabelos, vale a pena consultar um especialista porque isso pode indicar uma tentativa da criança de evitar o contato com algo que esteja lhe causando angústia.

9 – Como agir quando se está em público?

Não deixe que a opinião de pessoas desconhecidas lhe afete. Ignore os olhares de reprovação, ou aqueles que dizem: “ah, se fosse meu filho…”. Você conhece sua criança e deve buscar o que é melhor para ela. Leia, busque informações sobre esta etapa, converse com quem tem filhos nesta idade, procure quem possa ajudar, crie sua técnica e adote um mantra: “é normal e vai passar, é só manter a calma.”

10 – Cuidado!

Por mais difícil e irritante que esta fase seja, saiba que ela passa e que a criança precisa de compreensão. Portanto, evite sempre os castigos físicos, os tapas, beliscões e afins. Queremos que a criança entenda que a violência não é um comportamento aceitável, então, não podemos resolver a situação da mesma forma que ela. Explique e negocie sempre. Se você estiver perdendo o controle, respire fundo e afaste-se. Quando se sentir melhor, chame a criança e converse. Mas nunca deixe uma crise sem resposta, ou a criança vai se acostumar a não ter consequências para seus atos.

Anúncios

Spa infantil

Padrão

Um tema, de festa infantil, em especial tem feito muito sucesso entre as meninas um pouco maiores: Spa!
É uma graça!! Eu adoraria ter tido ou ter ido em uma dessas quando era criança!!! As meninas se divertem, ficam fofocando e se embelezando, elas AMAM!!!! Se eu tivesse tido menina, certamente faria uma festa com este tema.

spa16

spa1

spa2

spa3

spa4

spa5

spa6

spa7

spa8

spa9

spa10

spa11

spa12

spa13

spa14

spa15

Brinquedo de papel

Padrão

Mães de Plantão, vejam que produto mais fofo!!! Os paper animals da Mibo! A Mibo tem vários produtos infantis, mas os que mais gostei foram esses bichinhos! A ideia é comprá-los em 2D, ou seja, no papel chapado, e transformá-los em 3D! É muito bacana porque estimula as habilidades da criança e ela fica muito felizes ao ver o que fez junto com os pais! Fora que ficam maravilhosos! Eu amaria ter uma coleção decorando o quarto dos meus filhotes!!
Deem uma olhada em alguns animais de papel prontos:

bicho5

bicho1

bicho2

bicho3

bicho4

Outro produto que também gostei no site deles foi o Babador Gigante! Achei superútil!! Ele é bem mais comprido do que os normais, ideal para crianças de 2 a 4 anos!

bicho6

Aqui no Brasil não encontrei para vender, mas tem no site da Etsy e o preço é ótimo!!! Para quem for viajar, é um presente superbacana para os pequenos e não ocupa espaço na mala, já que os produtos vêm como uma folha de papel chapada!

Beijos

Decoração de festa com peixinhos

Padrão

peixes

Procurando uma ideia nova para a festinha de aniversário do seu filho? A dica de hoje é super legal, simples e barata e pode apostar que vai fazer uma diferença e tanto na decoração da festa! Peixinhos de parede feito com pratinhos de plástico!

Você só vai precisar de:

– Pratinhos descartáveis coloridos
– Tesoura
– Marcador/piloto
– Cola
– Fita adesiva dupla-face

Para começar, pegue o pratinho colorido e corte um pedaço triangular, como se estivesse cortando uma fatia de pizza. Em seguida pegue o triângulo que cortou e cole atrás do pratinho, da mesma maneira que a imagem está mostrando.

Com o marcador da cor desejada, faça o olhinho do seu peixinho.

Use a imaginação e decore os peixinhos de formas diferentes; quanto mais coloridos melhor! Faça chapeuzinhos, coroas, lacinhos, estrelinhas… tudo para deixar o ambiente ainda mais atrativo e alegre. Os convidados e o aniversariante vão adorar a sua decoração criativa!

Reflexão e os 8 meses de vida do Joaquim

Padrão

Como passa rápido,não é mesmo?? Estes dias passei em frente a maternidade que tive os meus filhos e fiquei pensando nisso. Chega a ser assustador!!! risos
Joaquim já fica sentado, engatinha para tudo quanto é lado e já fica em pé, se segurando nos móveis e na grade do berço. Pelo fato, dele estar cada dia mais ágil é importante que ele possa se movimentar de um lado para o outro da casa sem riscos.Por isso, estou deixando um edredon no chão da nossa sala, cheio de brinquedos para ele ficar lá brincando.
Joaquim já começou a mostrar o que gosta e o que não gosta. Isso com certos alimentos e com os brinquedos também. É só tirar da mão dele algo que gosta, que começa a soltar uns barulhinhos como se estivesse reclamando.
Como muitas de vocês já sabem, um bebê novinho em casa consome muita atenção então, imagina como eu e meu marido ficamos com duas crianças novinhas!! kkkkk
Aqui em casa, para superar o terremoto na vida amorosa estamos, eu e meu marido, arrumando algum tempo para ficarmos sozinhos! Henrique, por exemplo, já dormiu alguns dias, do final de semana, na casa da minha mãe ou da minha avó. Ele ama…porque lá, elas acordam cedo com ele e vão à praia/ piscina/ pracinha etc. Por mais que não ficamos a sós mesmo, porque o Joaquim fica com a gente… dá para ter um descanso. Dá para a gente se programar de ver um filminho no final do dia, enquanto o Joaquim dorme etc.
Hoje vamos sair numa ala, do carnaval de Vitória e por isso,Joaquim dormirá na casa da minha mãe enquanto, o Henrique dormirá na casa da minha avó.
Quando somos mãe de primeira viagem, nem cogitamos na possibilidade do nosso filho dormir fora de casa, né? Mas as coisas mudam, risos, com dois ficamos torcendo para alguém se prontificar a ficar algumas horinhas com os nossos filhos.
No começo deste ano, eu e meu marido conversamos bastante e fizemos questão de lembrar de tudo que a gente sente falta, depois que os nossos filhos nasceram. Resolvemos fazer planos específicos para ficarmos juntos.Um compromisso mesmo:no nosso caso, resolvemos nos programas para viajar, pelo menos, uma vez por ano. O importante mesmo é procurar retomar as experiências que lhe dão prazer com seu parceiro. Isso tem que ser uma prioridade.
O mais dificil que acho, é a divisão de tarefas da casa, principalmente, se estiver injusta. Pode ter certeza que isso vai causar ressentimentos e atrapalhar a relação. O melhor a fazer é abrir o jogo — e aí tentar achar uma solução, mesmo que ela seja baixar os padrões de exigência. Facilitar a vida diminui o estresse, e com menos estresse vocês têm mais tempo para se curtir e curtir os babys.
Eu sei que falar é fácil, dificil mesmo é colocar em prática! Mas assim como eu, tente se programar e modificar o que não lhe agrada! Por aqui, as coisas estão começando a dar certo! Em abril, por exemplo, vamos viajar sem as crianças. Aperto no coração?? SIM mas, o casamento agradece! Tenho a certeza absoluta que meus filhos serão bem cuidados e por isso, vou viajar sem peso na consciência e curtir cada segundo ao lado do meu marido.

Truque para aliviar a dor de dentes nos bebês

Padrão

O Joaquim está sofrendo com o nascimento do primeiro dentinho! Coloca tudo na boca e aperta com força. Para dar uma aliviada boa no incomodo e dor do nascimento dos dentes ou até mesmo, quando a criança sofre alguma pancada na boquinha a dica que eu dou é fazer uma: Chupeta gelada, até porque eles não conseguem chupar o gelo nesta idade!

1. Apertar a chupeta para tirar o ar;

2. Soltar dentro de um recipiente com água, para encher a chupeta;

3. Guardar no congelador.

Lembre-se de passar por água primeiro, para não ficar demasiado gelada.

 

chupeta6

Colher dosadora da Munchkin

Padrão

colher

Não sei se já falei para vocês,mas o Joaquim é muitooo enjoado para comer! Comida de sal não consegui dar para ele até hoje, dá para acreditar?? ele não aceita de jeito nenhum.Não sei o que fazer!! até a frutinha ele não é de aceitar muito bem. Tem dias que come tudo e outros que nem prova. Fecha a boca, de tal modo, que ninguém consegue abrir.Mas o post de hoje é para falar sobre a colher dosadora de papinha da Munchkin.
Acredito ser uma das melhores coisas que inventaram no momento, porque nada mais é que um produto que agrada pais e crianças, já que facilita o dia a dia. O produto, disponível nas cores rosa, azul e verde tem capacidade para 100ml de papinha, não contém BPA e o melhor, possui uma trava que evita o vazamento do alimento e a tampa que mantém a colher limpa.

O bom é que distraindo o Joaquim, eu só vou apertando a colher para a papinha já cair na boca dele como se fosse uma mamadeira. Facilita e muito, pelo menos para mim, porque toda a vez que tirava a colher da boca dele, para colocar mais papinha na colher e voltava para colocar dentro da boca dele…era um dilema!

Super recomendo!!