Reflexão e os 8 meses de vida do Joaquim

Padrão

Como passa rápido,não é mesmo?? Estes dias passei em frente a maternidade que tive os meus filhos e fiquei pensando nisso. Chega a ser assustador!!! risos
Joaquim já fica sentado, engatinha para tudo quanto é lado e já fica em pé, se segurando nos móveis e na grade do berço. Pelo fato, dele estar cada dia mais ágil é importante que ele possa se movimentar de um lado para o outro da casa sem riscos.Por isso, estou deixando um edredon no chão da nossa sala, cheio de brinquedos para ele ficar lá brincando.
Joaquim já começou a mostrar o que gosta e o que não gosta. Isso com certos alimentos e com os brinquedos também. É só tirar da mão dele algo que gosta, que começa a soltar uns barulhinhos como se estivesse reclamando.
Como muitas de vocês já sabem, um bebê novinho em casa consome muita atenção então, imagina como eu e meu marido ficamos com duas crianças novinhas!! kkkkk
Aqui em casa, para superar o terremoto na vida amorosa estamos, eu e meu marido, arrumando algum tempo para ficarmos sozinhos! Henrique, por exemplo, já dormiu alguns dias, do final de semana, na casa da minha mãe ou da minha avó. Ele ama…porque lá, elas acordam cedo com ele e vão à praia/ piscina/ pracinha etc. Por mais que não ficamos a sós mesmo, porque o Joaquim fica com a gente… dá para ter um descanso. Dá para a gente se programar de ver um filminho no final do dia, enquanto o Joaquim dorme etc.
Hoje vamos sair numa ala, do carnaval de Vitória e por isso,Joaquim dormirá na casa da minha mãe enquanto, o Henrique dormirá na casa da minha avó.
Quando somos mãe de primeira viagem, nem cogitamos na possibilidade do nosso filho dormir fora de casa, né? Mas as coisas mudam, risos, com dois ficamos torcendo para alguém se prontificar a ficar algumas horinhas com os nossos filhos.
No começo deste ano, eu e meu marido conversamos bastante e fizemos questão de lembrar de tudo que a gente sente falta, depois que os nossos filhos nasceram. Resolvemos fazer planos específicos para ficarmos juntos.Um compromisso mesmo:no nosso caso, resolvemos nos programas para viajar, pelo menos, uma vez por ano. O importante mesmo é procurar retomar as experiências que lhe dão prazer com seu parceiro. Isso tem que ser uma prioridade.
O mais dificil que acho, é a divisão de tarefas da casa, principalmente, se estiver injusta. Pode ter certeza que isso vai causar ressentimentos e atrapalhar a relação. O melhor a fazer é abrir o jogo — e aí tentar achar uma solução, mesmo que ela seja baixar os padrões de exigência. Facilitar a vida diminui o estresse, e com menos estresse vocês têm mais tempo para se curtir e curtir os babys.
Eu sei que falar é fácil, dificil mesmo é colocar em prática! Mas assim como eu, tente se programar e modificar o que não lhe agrada! Por aqui, as coisas estão começando a dar certo! Em abril, por exemplo, vamos viajar sem as crianças. Aperto no coração?? SIM mas, o casamento agradece! Tenho a certeza absoluta que meus filhos serão bem cuidados e por isso, vou viajar sem peso na consciência e curtir cada segundo ao lado do meu marido.

Anúncios

Sobre Mães de Plantão

Sou jornalista de formação, blogueira por paixão, esposa e full time mom de uma belíssima dupla: Henrique e Joaquim; uma mamãe ocupada por opção e de coração! Mães de Plantão é um blog com conteúdo voltado especialmente para mães, gestantes ou ainda, apenas simpatizantes desse grande projeto de vida chamado “ter filhos”. Logo que me tornei mãe, surgiu a vontade de compartilhar dicas e informações que fossem úteis para outras mães, com opiniões colocadas de uma forma bem direta, leve, descontraída e acima de tudo, honesta. Todo o conteúdo é criado e selecionado com muito carinho antes de ser publicado porque sei o quanto ficamos felizes e aliviadas quando encontramos alguém para dividir os mesmos dilemas deste, imenso,universo infantil.. Este blog serve para ajudar as mães de primeira viagem que assim como eu, sonharam por este momento único em suas vidas e querem dar o melhor de sí para este novo ser, que de alguma forma nos torna uma pessoa melhor a cada dia. Tornam sim, não por mágica. Tornam-nos melhores porque se não queremos que gritem não podemos gritar. Porque se não queremos que mintam não podemos mentir. Porque temos de cumprir o que prometemos se queremos que o façam algum dia. Aprendemos depressa que se queremos que não façam não podemos fazer. Sim, os filhos têm esse dom. O dom de nos obrigarem a pensar no que fazemos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s