Dicas para uma papinha saborosa

Padrão

200422932-001

Olá Mães de Plantão, tudo certinho com vocês?

Como sou eu que preparo toda a comida do Henrique, passei a pesquisar receitas e estratégias para deixar as papinhas mais saborosas.

1-Separe mentalmente os alimentos em grupos

* Carboidratos ou tubérculos – batata, macarrão, arroz, arroz integral, mandioquinha, inhame, cará etc.

* Proteínas – carne (músculo), frango (peito ou coxa), peixe, ovo e leguminosas (feijão, ervilha, lentilha etc.)

* Vegetais – cenoura, beterraba, alface, acelga, couve-flor, espinafre, vagem, chuchu, abobrinha etc.

2- Misture diferentes grupos de alimentos

Para montar a papinha, escolha dois ingredientes do grupo de carboidratos, um do grupo de proteínas e dois do grupo de vegetais. Quer um exemplo? Macarrão e batata (carboidratos), músculo (proteína), abobrinha e cenoura (vegetais).

3- Como preparar

Pique, refogue e cozinhe tudo com o dobro da quantidade de água até os ingredientes ficarem moles. Depois é só amassar com o garfo ou servir picadinho mesmo, dependendo da fase de mastigação em que o bebê está. Pode inclusive oferecer a carne em pedacinhos bem pequenos.

4- Varie os ingredientes

Quanto mais você variar os ingredientes, mais sabores seu filho vai experimentar e mais chances terá de gostar, no futuro, de todos os tipos de comida. Depois de um tempo, você pode acrescentar mais opções de vegetais e proteínas à papinha.

5- É comum os bebês rejeitarem novos alimentos

Esse fato não deve ser interpretado como uma aversão permanente. Em média, são necessárias de oito a dez exposições da mesma comida para ele ser aceito pela criança! Tenha paciência e não desista facilmente.

6- Como temperar sem erro

Cuidado com o sal. Quando passamos da medida, o bebê se acostuma com o sabor muito salgado e seguirá assim no futuro. O excesso de sal pode causar hipertensão e problemas cardíacos. Então, use bem pouco ou nada, se possível. Prefira temperar a comidinha com alho, cebola, salsão, salsinha, cebolinha e outras ervas. Algumas gotas de azeite no final também melhoram o sabor. Não use temperos picantes, como pimenta, páprica e curry. O organismo do bebê ainda não está preparado para eles.

7- Acerte na consistência

Antes de os dentes nascerem, seu bebê só conseguirá comer papinhas mais pastosas. Por isso, os alimentos devem ser bem cozidos para ficarem moles e amassados com um talher – não precisa passar pelo liquidificador, pois, dessa maneira, a papinha ficará líquida e, mesmo sem dentes, o bebê precisa de um pouco de consistência para estimular a mastigação. Tenha em mente que com o tempo os dentes nascem e ele não corre mais tanto risco de engasgar. Por isso, a consistência da papinha deve caminhar gradualmente.

8- Quando oferecer alimentos macios

Por volta dos 8 meses, experimente oferecer alimentos macios, como batata e macarrão, aos pedaços. As carnes podem ser moídas, picadas ou desfiadas. Com cerca de um ano, a maioria das crianças consegue comer alimentos picados sem grande problema.

Anúncios

Sobre Mães de Plantão

Sou jornalista de formação, blogueira por paixão, esposa e full time mom de uma belíssima dupla: Henrique e Joaquim; uma mamãe ocupada por opção e de coração! Mães de Plantão é um blog com conteúdo voltado especialmente para mães, gestantes ou ainda, apenas simpatizantes desse grande projeto de vida chamado “ter filhos”. Logo que me tornei mãe, surgiu a vontade de compartilhar dicas e informações que fossem úteis para outras mães, com opiniões colocadas de uma forma bem direta, leve, descontraída e acima de tudo, honesta. Todo o conteúdo é criado e selecionado com muito carinho antes de ser publicado porque sei o quanto ficamos felizes e aliviadas quando encontramos alguém para dividir os mesmos dilemas deste, imenso,universo infantil.. Este blog serve para ajudar as mães de primeira viagem que assim como eu, sonharam por este momento único em suas vidas e querem dar o melhor de sí para este novo ser, que de alguma forma nos torna uma pessoa melhor a cada dia. Tornam sim, não por mágica. Tornam-nos melhores porque se não queremos que gritem não podemos gritar. Porque se não queremos que mintam não podemos mentir. Porque temos de cumprir o que prometemos se queremos que o façam algum dia. Aprendemos depressa que se queremos que não façam não podemos fazer. Sim, os filhos têm esse dom. O dom de nos obrigarem a pensar no que fazemos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s