10 filmes sobre a maternidade

Padrão

Final de semana , para mim, é sinônimo de ver filmes.Depois que temos filhos, fica difícil sair de casa, para ir ao cinema – sendo assim, a solução é assistir em casa mesmo. Já dizia o ditado: “Quem não tem cão…caça com gato!” E como eu sei, que gestante e mães adoram sátiras/comédias e histórias que ilustrem o momento que estão vivendo… decidi fazer uma seleção de filmes com este tema: a maternidade. Fiz um TOP 10 de filmes sobre este tema, que eu assisti ao longo do tempo…. e posso dizer que todos são divertidos e leves à sua maneira . Tenho certeza que muitos dos filmes selecionados, muitas de vocês irão se identificar, seja lá pelos caos ou pelas situações cômicas que a maternidade nos traz.

Resolvi escrever este post porque passou, neste final de semana, na Globo o filme Plano B; que eu já tinha assistido mas revi…risos

Então vamos lá:

Plano B : Esta divertida comédia conta a história de Zoe (Jennifer Lopez) que está cansada de aguardar pelo homem certo. Decidida a ser mãe de qualquer maneira, ela elabora um plano, marca uma consulta e resolve fazer inseminação artificial. Neste mesmo dia conhece Stan (Alex O’Loughlin), que surge como uma possibilidade real de relacionamento. Só que Zoe quer manter o relacionamento no nível da amizade, ao mesmo tempo em que precisa esconder os primeiros sinais da gravidez. Quando enfim revela a verdade, Stan lhe diz que está disposto a encarar a situação. As situações que o filme mostra com as mudanças do corpo de Zoe são hilárias, me identifiquei em vários momentos. Recomendo !
O que esperar quando você esta esperando: Já escrevi um post sobre este filme.
Ligeiramente Grávidos: É um filme divertido, que conta a história de uma gravidez inesperada de uma noite apenas. Alison Scott (Katherine Heigl – adoro esta atriz) é uma jovem bonita e ambiciosa, que está para estrear como repórter de uma importante emissora de TV. Ben Stone (Seth Rogen) e seus 4 amigos dividem o aluguel de uma casa bagunçada, sendo que todos insistem em se manter na adolescência mesmo já tendo 20 e poucos anos. Alison e Ben se conhecem numa boate e, completamente bêbados, passam a noite juntos. A ligação entre eles
terminaria aí, mas algumas semanas depois Alison liga para Ben para informá-lo que está esperando um filho dele. A notícia faz com que Ben passe a questionar sua própria vida, além de aproximar duas pessoas que preferiam jamais ter se conhecido.
 Juntos pelo Acaso : Eu ADORO este filme, achei fofo fofo ! Holly Berenson (Katherine Heigl) e Eric Messer (Josh Duhamel) se conhecem, mas o primeiro encontro deles é um verdadeiro desastre. A única coisa que eles têm em comum é a paixão pela afilhada Sophie (Alexis Clagett/Brynn Clagett). Só que um acidente fatal deixou a menina órfã dos pais e a dupla foi designada para cuidar da pequenina. Obrigados a permanecerem juntos para cuidar dela, eles enfrentam as dificuldades típicas de quem passa a ser pai e mãe de uma hora para outra e começam a se entender melhor.
 Uma mãe em apuros : Um filme comédia, com um pouco de drama.O filme conta a história de Eliza Welsh (Uma Thurman) é uma escritora e blogueira que está muito atarefada. Ela precisa preparar a festa de aniversário de sua filha de 6 anos, cuidar do filho mais novo que está começando a andar, se enturmar com as demais mães no playground e ainda resolver uma briga com sua melhor amiga, Sheila (Minnie Driver), após publicar no blog uma de suas confissões. Para completar, ela decide se inscrever em um concurso onde precisa escrever uma matéria de 500 palavras sobre o que a maternidade representa para ela.
Não sei como ela consegue :  A história conta sobre a vida de Kate Reddy (Sarah Jessica Parker) que é o modelo da mulher moderna, que divide seu tempo entre os afazeres domésticos como mãe de família e também profissional e executiva. Ela sofre com a falta de tempo para o marido Richard (Greg Kinnear) e os filhos Emily (Emma Rayne Lily) e Ben (Julius Goldberg/Theodore Goldberg), um problema que aumenta ainda mais quando passa a trabalhar com Jack Abelhammer (Pierce Brosnan) na criação de um fundo.
Meu trabalho é um parto : É um filme bem bobinho…do tipo que se você dormir durante ele, você não se sentirá culpada de ter alugado
ou perdido de não ter assistido ( risos) Thea Clayhill (Lindsay Lohan) é uma jovem assistente que trabalha em uma editora de Los Angeles e cuida sozinha de sua irmã mais nova. Seu chefe Jerry (Parnell) é um tremendo chato e não sai de seu pé até o dia em que na hora de sua demissão, ela diz que está grávida para manter o cargo. Com o emprego salvo, Thea também passou a receber mais atenção dos colegas e a gostar da ideia de ter um tratamento especial por conta do seu novo “estado”. O único detalhe é que a gravidez é uma mentira.
9 meses : Um filme não tão novo, com  Juliane Moore estrelando conta a história de Samuel Falkner (Hugh Grant), um terapeuta de crianças, que não tem nenhum filho e não faz planos para isto. Que por sua vez, fica bastante abalado quando Rebecca Taylor (Julianne Moore), sua namorada há cinco anos, diz que está grávida. Repentinamente Samuel tem pesadelos e fantasias paranóicas de como o matrimônio e a paternidade mudarão sua vida e, para piorar, conhece Martin Dwyer (Tom Arnodl) e Gail Fletcher Dwyer (Joan Cusack), que têm três filhas, sendo que Gail está grávida novamente. Samuel considera o modo de vida deste casal assustador, mesmo quando Martin e Gail dizem que ter um filho é o máximo. Samuel e Rebecca passam a brigar frequentemente e, quando ele esquece o dia da ultrassonografia, Rebecca não o
perdoa e vai para a casa de Martin e Gail. Sozinho, ele vê a gravação da ultradsonografia e isto o emociona, assim decide deixar de ser tão egoísta pois está na hora para enfrentar suas responsabilidades…e por aí vai!
Baby Mama: Kate Holbrook (Tina Fey) é uma bem-sucedida mulher de negócios que a vida toda dedicou-se ao trabalho. Agora chegou aos 37 anos de idade e passou a sonhar com uma gravidez. O problema é que ela descobre que é infértil. Decidida, contrata a jovem Angie Ostrowiski (Amy Poehler) para ser sua “barriga de aluguel”. Assim que a moça engravida, Kate começa a decorar o quarto do bebê, ler livros sobre crianças e a pesquisar a melhor escola. Só que um dia Angie aparece na casa de Kate dizendo que não tem onde morar. Cria-se uma guerra de nervos entre as duas, mas também surgem grandes descobertas sobre o sentido real de família.
Ela vai ter um bebê : Um filme mais antigo -o filme conta a história de um casal Jake e Kristy Briggs que são recém-casados. Sendo jovens, talvez ainda estejam um pouco despreparados para a realidade do casamento e tudo o que seus pais esperam do casal. Eles querem ter filhos? Seus pais certamente querem ter netos. Eles iniciam a nova etapa de vida com pelo menos uma certeza: de se amarem muito.
Qual desses filmes vocês já assistiram e gostaram ? Vocês, tem algum filme neste gênero com o tema maternidade – que gostaram e recomenda ?! Querooooo saber, adoro assistir novos filmes.
Anúncios

Sobre Mães de Plantão

Sou jornalista de formação, blogueira por paixão, esposa e full time mom de uma belíssima dupla: Henrique e Joaquim; uma mamãe ocupada por opção e de coração! Mães de Plantão é um blog com conteúdo voltado especialmente para mães, gestantes ou ainda, apenas simpatizantes desse grande projeto de vida chamado “ter filhos”. Logo que me tornei mãe, surgiu a vontade de compartilhar dicas e informações que fossem úteis para outras mães, com opiniões colocadas de uma forma bem direta, leve, descontraída e acima de tudo, honesta. Todo o conteúdo é criado e selecionado com muito carinho antes de ser publicado porque sei o quanto ficamos felizes e aliviadas quando encontramos alguém para dividir os mesmos dilemas deste, imenso,universo infantil.. Este blog serve para ajudar as mães de primeira viagem que assim como eu, sonharam por este momento único em suas vidas e querem dar o melhor de sí para este novo ser, que de alguma forma nos torna uma pessoa melhor a cada dia. Tornam sim, não por mágica. Tornam-nos melhores porque se não queremos que gritem não podemos gritar. Porque se não queremos que mintam não podemos mentir. Porque temos de cumprir o que prometemos se queremos que o façam algum dia. Aprendemos depressa que se queremos que não façam não podemos fazer. Sim, os filhos têm esse dom. O dom de nos obrigarem a pensar no que fazemos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s